quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Família em descompasso

Exagero, drogas, ácido, maconha, tequila, cachaça, coca ou sei lá, mas um sumiço. Estou falando da minha família, três lindos piás, uma menina e dois guris. A mãe deles relapsa, esquecida dos fatos, mas tentava trazer de volta ao convívio do lar. Estava longe, afastada e nem ligava para saber informações. As crianças eu cuidava com afeto, porém estava farto de enrolar sobre o desaparecimento materno.
Júniar, aos dois anos, chorava ao ver a foto, não conseguia disfarçar a tristeza da distância. Raimundinho, com quatro anos, dava bicos com raiva nas paredes para tentar soltar a irritação da perda. Gabiru, recém nascido, esse ao menos nem lembrava. Eu sofria, as lágrimas nos olhos dos pequenos, caiam com potência em mim e machucava.
Esqueci orgulho, abandonei motivo, mas queria simplificar a angustia dos meus filhos. Ligações na tentativa de botar em contato com as crianças, mas parecia inútil. Ela queria apenas curtir a vida e viajar com namorado do momento. A família, passado distante e algo esquecido. Distraída, chapada ou desconexa, enfim encontro perdida pelo MSN. Começo fazer perguntas básicas, esforço complicado de resgatar o contato dela com os piás.
Estava fora, havia inclusive apagado a escolha dos nomes. Comecei a tocar os fatos como desespero de trazer a lógica. Citei lembra da Júniar, escolheu com tanto carinho o nome, certo tinha bebido um pouco, mas estava tão feliz quando me falou. - Amor o nome da guria é Júniar. Acabei nem questionando, até considerei inusitado, exótico, mas teus olhos brilhavam e tua boca falava com tanto afeto. Risadas desconexas e pedido de perdão por ter esquecido momento tão sublime.
Apavora, quem sabe lembre os outros? Resolvo tentar, falo da origem do Raimundo. Cita as batatas fritas, porém nem recorda, do grito: -Raio de mundo para sobreviver aqui só Raimundo, neste local imundo. Escolha por protesto, por raiva, mas com convicção. Escutei na ocasião da sala, ainda tentei argumentar, porém estava tão convicta. O caçula, eu queria simplificar, evitar estrangeirismo, grafias estranhas ou expressões inusitadas. Sugeri Adriano, por ser normal e como homenagem ao Gabiru, autor do gol do Mundial do Inter. Para meu espanto, rejeitou Adriano, por julgar com preconceito o imperador e ficou Gabiru.
Conversa longa, horas no esforço, tentando trazer na memória o retorno da consciência. No final, um xingamento. Iberê para de beber ou surtar, não temos filhos, ainda nem nos conhecemos. Lavei o rosto e ainda estou perplexo. (por Iberê)

Nos adicione no MSN >>>  o-cercadinho@hotmail.com 

 

11 comentários:

Ludi disse...

mta brisa,mta coca, mto doce, mto acido, mta maconha, mta loucura!!! hauahuahau


brisa, brisa e brisa ahuahauah

Andréia Espíndola disse...

Que texto podre. Mais confuso doq qq outra coisa. Quem segurava este blog como o Cebola e o Wanderlei que tinham que ter continuado, e não o Iberê e o tal do Marcão que raramente aparece aqui. Estamos acompanhando o declínio deste blog, q começou de uma maneira muito legal. Pena. Boa sorte na tua empreitada, Iberê. Eu e minhas amigas (as quais indiquei o blog de vcs) estamos partindo deste blog pra outro.

ps.: não tente conquistar e comer todas as leitoras no msn. Fica a dica, amigo.

O Cercadinho disse...

Ludi, nem tanto, apenas uma tentativa de fazer um texto com humor.

bjs
(por Iberê)

O Cercadinho disse...

Andréia, lamento não sou escritor, tento contar histórias de forma agradável, essa era para ser com humor. Sobre as saídas foi por opção deles, por mim teriam continuado. Estou tocando com Marcão, vamos colocar outros nomes para substituir as perdas, mas se prefere partir, resta desejar boas leituras.

bjs
(por Iberê)

Anne Caroline disse...

Nossa, amei esse texto. Iberê, você realmente tem um ótimo senso de humor...
Sou leitora do O Cercadinho a pouco tempo, mas já me tornei fã. Passo por aqui quase todos os dias para dar uma espiadinha nestes textos, tão intensos que maravilham a minha leitura. Parabéns à você e ao Marcão, espero que esse blog não tenha fim por causa de críticas destrutivas.
Beijos,

Ane Caroline.

O Cercadinho disse...

Anne, grato querida por palavras de afeto e tão sinceras. O nível de quem lê esse espaço é dos melhores, agradeço pelo carinho, vamos seguir escrevendo tanto eu quanto o Marcão. Contamos com o público para dar opinião, mas sem receio positiva ou negativa. Porém peço, chega de falar de quem saiu, afinal a vida segue.

Simey Lopes disse...

ahuahuahuah, muito loucura e viagem pra um texto só gente... ri muito.
Muito bom, inclusive o desenho da foto, amava assistir, não perdia um episódio...
voltando ao texto, gostei da dinâmica.

O Cercadinho disse...

Simey, o objetivo era humor, tanto no texto quanto na escolha da foto era essa intenção. Valeu por ter curtido a dinâmica da narrativa. Obrigado pelo carinho.

bjs
(por Iberê)

Sara disse...

Bah Iberê! Me manda um pouquinho desse bagulho aí hahahahaha...
Adoro esse teu jeitão maluco e delirante!!

Bjus

O Cercadinho disse...

Sara, apenas tento brincar com as palavras, neste surtei só um pouco.

bjs
(por Iberê)

Stela disse...

Muito bom Ibere, adorei o texto.
Com senso de humor tudo fica mais leve. Prefiro teus textos mais bem humorados do que os delirantes em busca de algo inexistente.
bjs bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...