terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Amor sem palavras

Troca de olhares, demonstração de interesse. O olhar desconcertante provoca o primeiro contato e evidencia a possibilidade do flerte continuar. Um sorriso, canto da boca, só de lábios, alerta positivo de aceitação. Ela mexe nos cabelos de forma frenética e gesticula mostrando as mãos.
Ele, distante, movimenta o braço, uma leve acenada chamando-a para perto. Ela fica imóvel, faz o sinal de negativo. Então levanta da cadeira e vai em direção dela. Chega próximo, pergunta básica: "Posso sentar aqui?" O silêncio. Interpreta como resposta afirmativa.

Na mesa, fica posicionado à frente, parece tensa e pouco à vontade com a invasão. Os braços cruzados, protegendo, o corpo evitando a visão do decote. A abordagem no inicio, complicada, demora algum tempo para relaxar.
Nunca é barbada, banal e simples. Na conquista, precisa saber as palavras adequadas, ter sensibilidade e observar a linguagem corporal. Qualquer deslize na fala ou gesto precipitado, interrompe a continuação.

Aparência e aspecto negativo de uma palavra conseguem destruir e acabar com a intimidade. Quase mudo, quieto, apenas o som da música. O barulho dos lábios, o movimento das línguas em sincronia no beijo. As mãos articulam, contribuem, movimentam e sentem.
Após vários papos íntimos, onde o contato dos corpos era o som ambiente, começam falas desnecessárias, reclamações e questionamentos. O transtorno de gritos, atrito, divergência e fim.
O ideal é dosar, poder dividir a linguagem falada da corporal. Evitar monólogos cansativos e constrangedores. Falas em excesso desgastam e incomodam. (por Iberê)

15 comentários:

Simey Lopes disse...

Nossa, uma coisa que reparei nos seus textos é que vc é bem direto... rs.
Texto bom... dicas que muitas leitoras irão aproveitar. Você consegue fazer o texto fluir numa narrativa simples, gostei muito.

O Cercadinho disse...

Simey, tento sempre ser objetivo com as palavras, evito o desnecessário. Porém em alguns casos cometo erro e fica confuso.

bjs
(por Iberê)

Cíntia disse...

Iberê desculpa mais ultimamente seus textos estão deixando muito a desejar, os do Cebola já foram melhores quando iniciou, agora estão meio sem graça. Só avisa o Wanderlei que a novela sem destino esta deixando suas leitoras meio impacientes, tem que acabar logo, ninguém aguenta mais aquela enrolação.
BJOS Cíntia

Sara disse...

Puxa querido, é incrível como essa magia, esse desafio da conquista, essa ansiedade pelo desfecho e o prazer dos primeiros encontros acaba sendo substituído por mesquinharias e frivolidades. Sem dúvida, é o princípio do fim, dias contados para a paixão.

Bjus...meu D. Juan

O Cercadinho disse...

Cíntia, não sou genial ainda, mas continue por aqui em algum momento talvez recebe o status de gênio.

bjs
(por Iberê)

O Cercadinho disse...

Sara, D.Juan, puxa assim vou acabar me iludindo e achar que te conquistei de fato.

bjs

(por Iberê)

Sara disse...

Iberê, não sou muito fácil, aliás sou extremamente exigente, valorizo a sinceridade e a simplicidade...ainda não me conquistou mas está à caminho rsssss.

Bj

O Cercadinho disse...

Sara, continue lendo, quem sabe em algum texto, consiga enfim ao menos pelas palavras te conquistar.

bjs
(por Iberê)

Sara disse...

Olha que curioso, de repente estamos nos fazendo companhia neste momento rssss...mas para O Cercadinho não virar site de relacionamento melhor não ficarmos tc por aqui né rsssss.

Boa noite...meu notívago preferido

Simplesmente Malu... disse...

Oi, Iberê:
Adorei o texto. Me fez lembrar de um momento muito especial e de alguém que continua especial, que soube chegar exatamente assim, como você descreveu.
Estou retribuindo a visita que fez ao meu blog e gostei muito do que li por aqui (já comentei no outro texto também).
Um abraço! Não deixe de me visitar lá pelo blog tbm ;)

O Cercadinho disse...

Malu, vi os comentários lá e respondi. Assim a regra no Cercadinho é democracia nos comentários, quando gostar elogia, mas caso não curta um texto tem liberdade para reclamar e questionar.

bjs
(por Iberê0

Jeane Willman disse...

não concordo muito que a conversa seja o motivo de finais infelizes, afianl de contas essa é uma das principais caractteristicas que nos diferem dos animais.... é conversando que agente se entende!!! beijinhos

Camila Góes disse...

Sábio e poético texto. Medida certa encontrada ao menos na escrita.
Tô virando fã!
Bjos

O Cercadinho disse...

Jeane, sim as palavras quando utilizadas de forma correta podem ajudar, mas vai usar uma só palavrinha fora do lugar, o estrago tá feito.

bjs
(por Iberê)

O Cercadinho disse...

Camila, grato pelos elogios ao texto, bom ter alguém do teu nível comentando, os textos são diários quero te ver mais vezes por aqui.

bjs
(por Iberê)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...